Navegação – Mapa do site

Dez anos da Convenção do Património Imaterial: ressonâncias Norte e Sul – até 15 de fevereiro de 2014

Organização: Regina Abreu e Paulo Peixoto

Prazo para envio dos artigos: 15 de fevereiro de 2014

 A normatização das políticas preservacionistas por fora internacionais e agências multilaterais, com destaque particular para a UNESCO, tem vindo a estimular uma dinâmica globalizada no campo do património. O argumento central gira em torno da preservação do "diferente" como um exercício de proteção à diversidade cultural, num mundo em crescente homogeneização. 

Em resposta às chamadas "Recomendações" da UNESCO, diversos países-membros colocaram em marcha, a partir da Convenção do Património Imaterial (PCI) de 2003, políticas voltadas para a identificação, preservação e promoção de diversas modalidades de património, privilegiando a noção de singularidade cultural e de conhecimento tradicional, dando lugar ao que poderíamos denominar como "patrimonialização das diferenças". 

Das políticas patrimoniais como estratégias voltadas para uma "cultura para a paz" (na origem da UNESCO), chegamos a uma era de efeitos competitivos entre interesses diversos, expressos em políticas que, por vezes, mais hierarquizam e distinguem as culturas umas das outras do que as acolhem num amplo inventário sobre a diversidade cultural global. Nesta nova configuração, observa-se ainda uma substantiva mudança no protagonismo social do campo patrimonial a nível nacional e local, com o surgimento de uma pluralidade de novos agentes patrimoniais na cena pública: organizações não governamentais, associações representativas de movimentos sociais. O objetivo deste número consiste em debater: Quais os efeitos de programas de patrimonialização em contextos locais, regionais ou transnacionais? Quais as mudanças para as comunidades tradicionais como consequência de registos ou processos de inventariação das suas manifestações culturais? Quais os papéis do Estado e quais os novos sentidos do público na atual configuração do Património Cultural?

Este número temático da e-cadernos ces resulta de uma discussão concretizada em diversos eventos de natureza científica, inseridos em projetos de cooperação Portugal-Brasil. O número tem como objetivo recolher contributos sobre as ressonâncias, no Norte e no Sul, da Convenção do Património Imaterial, pela altura da celebração dos 10 anos da sua existência.

O número temático também aceita recensões (2 a 3 contribuições) de trabalhos recentes sobre as temáticas em consideração. Estas recensões serão publicadas na secção final @cetera.

A e-cadernos ces é uma publicação online, com acesso livre, que se baseia num sistema de avaliação por pares e editada pelo Centro de Estudos Sociais. Integra atualmente: CAPES, EBSCO e Latindex. Para mais informações sobre a publicação consulte:
http://www.ces.uc.pt/e-cadernos/pages/pt/indice.php.

Todos os textos devem ser submetidos na sua versão completa, em língua portuguesa, inglesa ou castelhana. Podem ter entre 50 e 70 mil caracteres (com espaços), incluindo notas e referências bibliográficas. Para a secção final @cetera, podem ser apresentadas recensões críticas inéditas (máx. 5 mil caracteres).

As normas detalhadas para submissão dos textos estão disponíveis emhttp://www.ces.uc.pt/e-cadernos/media/Normas_publicacao_e_cadernos.pdf. As mensagens devem ser enviadas para e-cadernos@ces.uc.pt e indicar explicitamente que se referem ao número temático em questão – “Dez anos da Convenção do Património Imaterial: Ressonâncias Norte e Sul”.

Todos os contributos estarão sujeitos a um processo de arbitragem científica.

  • Logo Centro de Estudos Sociais
  • Logo Universidade de Coimbra
  • Logo Universidade de Coimbra - Património Mundial em 2013
  • Logo Compete 2020
  • Logo Portugal 2020
  • Logo Fundos Europeus Estruturais e de Investimento
  • Logo Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  • Les cahiers de Revues.org